quinta-feira, 18 de julho de 2024

A alma da enogastronomia toscana

 

Para ter um encontro autêntico com a alma de uma cidade é necessário enfronhar-se em sua cultura gastronômica. Aqui em Firenze, esse lugar é o Mercado Central, onde se concentra tudo o que de melhor a enogastronomia toscana oferece. A própria arquitetura já é um convite para explorá-lo metro a metro.

 

O projeto leva a assinatura do arquiteto Giuseppe Mengoni, o mesmo que desenhou a famosa Galleria Vittorio Emanuele II, de Milão, que abusou de materiais como o ferro fundido e vidro. O prédio foi inaugurado em 1874, com uma exposição internacional de agricultura. Hoje, é templo dos produtos locais, restaurantes e quiosques de comidas tradicionais.

 

No piso térreo está a feira de víveres – vegetais, cogumelos, açougues, queijos, geléias, embutidos – além de lojas de vinhos e outras bebidas, como o Lemoncello, e de artesanato local. E um conselho: nunca toque em nada. Peça ao vendedor para separar o que for levar.  Antes de começar a peregrinação, a dica é experimentar o suco fresco de romã espremido na hora.

 

Há cerca de dez anos, o Mercado Central ganhou um andar dedicado à enogastronomia. São pontos de venda de pizzas, sanduíches, pastas, pratos mais elaborados, como a bisteca Fiorentina, além de vinhos e cervejas. O vão central abriga 500 lugares – quase sempre lotados de locais e turistas. Abriga também escola de gastronomia e de vinhos.

 

Uma ampla amostra de todos os sabores e tradições da Toscana em um só lugar carregado de autenticidade.

 

 

Avatar

Este post foi escrito por: Anna Paula Guerra

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

1 comentários em "A alma da enogastronomia toscana"

  • Avatar Carlos Lúcio disse:

    Ana Paula, parabéns. Vc nos fez dar uma volta completa nesse mercado, cuja atmosfera é renascentista e atual ao mesmo tempo. Curiosissimo para experimentar esse suco de romã. Show de bola.

Deixe uma resposta