segunda-feira, 17 de junho de 2024

A arte de Dulk no festival de tochas

 

Explosão de luz, cor e magia marca a grande festa das fogueiras, as Fallas de Valência, uma tradição que vem dos séculos XIII e XIV. O nome do festival era como se chamavam as tochas que as tropas do rei usavam para iluminar o caminho. O ápice da festa é sempre no dia 19 de março, Dia de São José, quando bonecos estilizados gigantescos, de madeira, acrílico, papelão e outros materiais, são instalados nas e praças públicas e depois são queimados, produzindo um espetáculo luminoso de cores. Patrimônio Mundial da Unesco, o festival também é marcado por monumentais shows pirotécnicos.

O principal criador dos bonecos é o artista plástico Dulk, que este ano fez um urso de 22 metros – trabalho em parceria com Alejandro Santaeulalia – orçado em 205 mil euros, com uma calota polar derretendo ao fundo; obra que chama a atenção para as mudanças do clima, já que ele é um ativista do meio-ambiente. Equipes de apoio passaram toda a semana no processo de montagem do animal, uma espécie em extinção.

Nascido em Valência, Antonio Segura, mais conhecido como Dulk começou a desenhar em paredes da cidade aos 19 anos. Influenciado pelo pai, estudioso dos pássaros, retrata principalmente aves e animais selvagens. As formas da natureza também estão presentes em suas esculturas irreverentes e surrealistas. Sua paleta de cores de alto contraste carrega de alegria seus personagens gigantes.

Dulk já expôs em cidades de todo o mundo, como Miami, Los Angeles, Londres, Roma, Antuérpia e Barcelona. Suas obras de arte urbana chegaram também nos Estados Unidos, Suécia, Rússia, Taiwan, Itália, França e Dinamarca.

 

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta