sexta-feira, 12 de abril de 2024

A Broadway nunca mais será a mesma

 

Então, como não há coisa boa que dure para sempre, as cortinas vão ser fechadas definitivamente. Os aplausos não mais ecoarão no teatro acostumado com multidões arrepiadas. Tudo isso para dizer que já tem data marcada a última apresentação do musical “The Phantom of the Opera”, o maior de todos os tempos, em cartaz desde 1988, sucesso absoluto da Broadway, o templo das mais deliciosas ilusões de Nova York.

 

Será no dia 18 de fevereiro de 2023 – o anúncio foi bem antecipado para quem quiser ver ou rever exaustivamente. É que o espetáculo, que já foi um dos maiores empregadores de artistas da Broadway – mais de 400 –, amarga hoje prejuízos que ultrapassam um milhão de dólares todos os meses; derrocada que se iniciou quando as apresentações foram retomadas no pós-lockdown. Pode-se dizer, portanto, que o fantasma é uma vítima do espectro Coronavírus e infelizmente não há vacina para esse tipo de efeito colateral devastador.

 

E olha que há cerca de um ano, quando os artistas retornaram ao palco depois de 18 meses de apresentações suspensas, foi uma choradeira geral do elenco com a plateia. É que o espetáculo, desde a estreia, nunca havia ficado tanto tempo fora de cena.

 

O musical colecionou títulos e números fantásticos ao longo dos anos – serão 35 a serem completados – em que esteve em cartaz. Já foram mais de 13 mil apresentações e mais de 20 milhões de espectadores. O faturamento é coisa estratosférica. De dez indicações para o prêmio Tony de 1988, O Fantasma da Ópera levou sete: melhor musical, direção, ator (Michael Crawford), atriz coadjuvante (Judy Kaye), cenário, figurino e iluminação.

 

Escrito por Andrew Lloyd Webber, é baseado no romance clássico de Gaston Leroux e se passa no século 19. Conta a história da aspirante a cantora de ópera Christine Daae, que é treinada pelo misterioso Fantasma a aprimorar suas habilidades vocais. No entanto, as coisas tomam um rumo sombrio quando o Fantasma escolhe Christine como sua musa, mas ela se apaixona por um mecenas chamado Raoul. Astros como Michael Crawford, que foi o primeiro a interpretar o Fantasma, além de outros como Judy Kaye e Sarah Brightman já brilharam no musical. Vamos todos chorar juntos!

Avatar

Este post foi escrito por: Carmen Lucia

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

1 comentários em "A Broadway nunca mais será a mesma"

Deixe uma resposta