segunda-feira, 17 de junho de 2024

A loucura do clima na Itália

 

O inverno atípico na Itália vem assustando nativos e espantando turistas que vão atrás de picos nevados para esquiar. As temperaturas chegaram a 18 graus celsius, derretendo gélidas intenções.
Mas hoje a história muda. A previsão para este 19 de janeiro em toda a região da Toscana é de muito frio, neve e ventania. Ontem, o departamento de proteção civil emitiu um alerta de código amarelo para todo o dia; o que significa nível quase máximo de perigo.

 

A queda de neve é esperada para grandes altitudes a partir da tarde, com previsão de acúmulo de até 10 centímetros de gelo. No entanto, o que se pode chamar de “veranico” de inverno já derrubou o número de turistas nas estações de esqui, levando empresários a procurarem até a ajuda do governo para o “mal tempo”. Desde o século 19 não havia um inverno tão quente, com temperaturas chegando a 18 graus. Deu praia na Sicília e Mimosas na Toscana como se primavera fosse. Nem mesmo os insetos dos campos de recolheram.

 

A mudança climática trouxe o vento quente da África, impedindo a entrada do gelado que sopra do Leste Europeu. O resultado foi o adiamanto da “settimana bianca”, a semana branca dos italianos, que vai do Natal ao Dia de Reis, 6 de janeiro (Befana), quando as famílias correm para esquiar nas montanhas. Até ontem, por aqui, neve mesmo, só artificial.

 

Para hoje – Na província de Arezzo, em Florença e Siena, as nevascas podem continuar até a noite. O alerta vale também para possibilidade de tempestades intensas com trovoadas. Eventos de mal tempo intenso, principalmente na região da Toscana, normalmente duram pouco mais de dez dias, mas em toda a Itália, podem ocorrer durante o período do inverno, de 21 de dezembro a 20 de março. Mas, com o “cambiamento” do clima, tudo pode acontecer – ou não! A meteorologia não consegue mais prever com precisão o dia de amanhã.

Avatar

Este post foi escrito por: Anna Paula Guerra

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta