sábado, 18 de maio de 2024

A monarquia inglesa e os monarcas brasileiros

 

Dia desses em que toda a imprensa de direita e de esquerda tirou o pé do pescoço do Presidente para falar da morte da Rainha Elizabeth e, como o assunto do funeral será longo, a brava imprensa resolveu diversificar o assunto morte para o assunto preferido de todos, a riqueza da monarquia inglesa.

 

Quem já esteve em Londres e não visitou a “Jewel House” na Torre de Londres, perdeu um espetáculo de fausto e riqueza da Família Windsor, o que poucos sabem, é que a chamada Família Real Britânica custa menos para eles do que nossa “monarquia” aos brasileiros.

 

Entre um comentário e outro sobre os ingleses e suas manias, descobre-se que o show de alamares dourados, medalhas e uniformes que nos são mostrados diariamente na televisão, representam um custo de R$ 6,00 por ano a cada cidadão inglês e chama-se “Sovereign Grant (subsidio soberano) que é baseado nos rendimentos da Crown Extate, representado por um enorme conjunto de propriedades e terrenos que são de propriedade da Família Real.

 

O custo anual da Família Real é de 86 milhões de libras, os imóveis da Rainha são geridos pelo já mencionado Crown Estate que administra e gera lucro para o Estado Inglês. Então o custo da monarquia Inglesa de R$ 6,00 por cidadão inglês é, na verdade, subsidiado pelos imóveis e bens da Coroa em uso pelo governo ou empresas, ou seja lá quem use. Afinal é uma estrutura de monarquia & governo que se mantém há séculos sem golpes, sem desatinos, sem força bruta. É um processo natural e respeitado por todos, durante gerações e gerações de ingleses.

 

Mas por que estou levantando esse assunto? Porque nós também temos a nossa monarquia, só que a nossa vive vergonhosamente incrustrada nas costas da sociedade brasileira que paga impostos para sustentar 6 ex-presidentes, cada um com 8 servidores, dois carros com motorista disponível 24 horas por dia. Como o motorista por força de lei não pode trabalhar mais que seis horas por dia, cada carro utiliza 4 motoristas. Lembrando ainda que todos os ex-presidentes são possuidores de belas contas bancárias.

 

Seguramente só o Superior Tribunal Federal, o “Supremo” que tem causas paradas há mais de 20 anos, custa mais por ano que toda a monarquia inglesa. O nosso caro, mas não querido congresso nacional, onde se abrigam os defensores da nossa democracia, é o segundo mais caro do mundo, só perde para o Congresso americano cujo governo que tem uma economia de 24.7 trilhões de dólares, enquanto a nossa é de 8.7 trilhões de reais. Cada dia fica mais difícil carregar a nossa monarquia.

 

Assim, fica claro que tem um odor pairando no ar que a mim lembra esgoto, um cheiro de podridão em nossa prezada e cara democracia e, como conviver com mau cheiro incomoda, precisamos fazer alguma coisa para melhorar o ar que estamos respirando. Há 3 anos que, prevendo o ano eleitoral que estamos vivendo, eu e um grupo de amigos criamos o MEC — Movimento Eleitor Consciente, cujo objetivo era conscientizar a população para o movimento eleitoral que já estamos vivendo. PAFT!! Não mudou nada.

 

Temos um horário eleitoral ridículo, com um monte de gente despreparada quase idiota, dizendo bobagens e fazendo promessas impossíveis de serem cumprida e, portanto, ignoradas pelos eleitores que, considerando os dias de chuva e frio, ficam em casa assistindo essa comedia sem graça.

 

Temos candidatos à presidência da República completamente, despreparados, usando esse horário para invadir as casas e ficar repetindo um monte de asneiras, sem a menor noção da importância dos cargos a que se candidatam.

 

Triste do nosso Brasil que tem uma monarquia com rei ou rainha só no Carnaval, mas que tem barões que normalmente são traficantes de drogas ou de favores brasilienses, confesso que nesse rol de traficantes, prefiro os de droga, porque matam muito menos dos que aqueles que se candidatam à presidência mentindo descaradamente, repetindo as mesmas mentiras e fazendo as mesmas promessas. Por isso eu sou obrigando a perguntar: MAS QUE PAÍS É ESSE????

 

 

Hiram Souza é empresário, marketeiro de longa data, aos 80 anos de jornada o que permite ter uma janela holística para o mundo. Com leve humor escreve sobre assuntos ligados à política, comportamento, educação e brasilidade.

 

 

 

Avatar

Este post foi escrito por: Hiram Souza

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta