sábado, 18 de maio de 2024

A ressurreição das sobras da ceia

 

Ainda não há estudos sobre o motivo de as festas de final de ano gerarem tantas sobras de comida. Será medo de faltar? Ou o é algo proposital pelo fato de o 25 de dezembro ser um raro dia em que os restaurantes fecham as suas portas para permitir que os funcionários passem o Natal com a família.

 

Bom, seja qual for o estímulo do exagero, é preciso estar preparado para acondicionar tudo – peru, leitoa, salpicão, farofa etc – corretamente para não correr o risco de contaminação – e prejuízos, convenhamos que os ingredientes da ceia estão pela hora da morte.

 

Aqui entra em ação a nossa blockbuster da arrumação, Candice Ribeiro, que já alerta: “Os cuidados com os alimentos devem ser iniciados antes mesmo do preparo”. É que os congelados, como o peru, por exemplo, deve ser o último a ir para o carrinho na hora das compras, já que a mudança de temperatura pode causar proliferação de microrganismos e tornar o alimento impróprio para consumo.

 

Também há técnicas para o descongelamento, que dever ser feito sob refrigeração. E, depois que todos os itens da ceia forem colocados na mesa, ali devem permanecer por não mais do que 30 minutos. Deixar da noite para o dia, nem pensar!

 

Depois de guardado na geladeira, em um recipiente fechado, o peru pode ser consumido em até três dias, assim como o arroz e a rabanada. Já o salpicão dura até 24 horas, assim como o peixe, se for o caso. E o panetone? É preciso ficar atento quanto a validade e manter o pão em lugar seco e arejado.

 

Seja qual for o alimento, é muito importante escolher o vasilhame correto para acondicionamento. Candice fecha questão no pote de acrílico ou vidro, com vedação hermética. Vão à geladeira ou freezer. Ela sugere também rotular as vasilhas com o nome e data do alimento. Outra dica é, se a sobra for muita, deve ser porcionada e levada logo para o congelamento.

 

A especialista lembra também que cada alimento deve ser “ressuscitado” de uma forma: as carnes no forno a gás; já o arroz e farofa podem ir ao microondas. “Mas lembrem-se: esquentou uma vez, o que não for consumido deve ser descartado. Assim como o que for descongelado; não pode voltar mais para o freezer. No mais, boas sobras a todos!”

 

Quem é ela?

Candice Ribeiro é personal organizer há 13 anos. Há 12 criou a @atitudecaprichoeorganizacao.

 

Foto: Pexels/ Nicole Michalou

 

Avatar

Este post foi escrito por: Candice Ribeiro

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta