segunda-feira, 17 de junho de 2024

Adeus Portugal e que venha a Espanha

 

Marcio Fernandes – O Caminho de Santiago é exercício incondicional da paixão. Por isso, não pesa o sacrifício de percorrer longas distâncias para alcançar Compostela, a pátria amada dos peregrinos. Hoje tivemos simplesmente o privilégio de iniciar a caminhada pela Via Romana XIX, construída há 2 mil anos.

 

 

A mudança do tempo me causou crise de asma e foi um pouco difícil caminhar no início. Logo estava a pleno vapor e com oxigênio suficiente para nem sentir o peso da mochila. Molly teve também alguma coisa no princípio, pois me disse que não estava com o coração conectado ao Caminho. Foi só perceber que estava no Vale do Rio Minho para que tudo se invertesse. No Caminho até os musgos que cobrem árvores e pedras te fazem sentir pleno de alguma coisa que não é deste mundo.

 

 

A minha vida de mochileiro é um departamento ambulante de Achados & Perdidos. Consegui lavar a roupa. Vitória expressiva. Obrigado Dona Isabela, minha nova mãe adotiva. Quando fui escovar os dentes percebi que havia deixado o dentifrício em local incerto e não sabido. Molly me socorreu com dois pingos de pasta dental. E se não tivesse essa alma solidária?

 

 

Hoje, o Caminho foi praticamente de descidas. Todo santo ajuda? Claro! Mas é preciso alguma técnica de trekking para não prejudicar os joelhos. Pelas veredas do extremo Norte do Minho eu flutuava em trilha estreita, de vegetação densa e solo de pedra. Foi uma pena não ter sentido o aroma da floresta por conta da crise asmática.

 

 

Paul decidiu fazer seu próprio Caminho e andou na frente. Já Heloísa, sempre carinhosa, parava para ter conversa dócil com os cães. Ontem aconteceu algo terrível. Uma peregrina foi mordida por um cachorro. Odeio reunião, mas estou disposto a me sentar com o presidente de Portugal e o rei da Espanha para apresentar diretriz definitiva de segurança bilateral de controle de canídeos.

 

 

Ao me aproximar da fronteira espanhola estava meio triste por deixar Portugal. Pedi ao Caminho que repusesse cada passo andado ou parasse o tempo. Não houve concessão alguma. A fila sempre anda por aqui e decidi manter a proa em direção a Galícia.

 

 

A pedra de hoje foi dedicada a todas as pessoas que amo e que me amam. Em vez de deixá-la em santuário, atirei no Rio Minho. Ela foi flutuando em direção à foz em franca navegação. Ao chegar a Caminha, conseguiu pegar a última caravela que partia para Grandes Descobrimentos Espirituais.

 

 

Nesta viagem, nós enchemos a nau de especiarias das Índias. Tínhamos reserva boa de leite das Astúrias, pão fresco da Itália e vinho do Alentejo. Muitos tapetes da Pérsia. Seda genuína da China. Pedras preciosas de Gana. Sabedoria judaica, noite das Arábias e paz de Buda. Nossa maior fortuna, no entanto, era a bênção de São Tiago a nos dar proteção para vida longa no eterno pacto com Deus.

 

A demanda de positividade cresceu em 24 horas, mas o coração é grande. É só organizar a fila.

 

O primeiro positivo vai para Nina, a menina que carrega a honra da perpetuação do matriarcado das Melo. Quero mandar um positivo para Dr. Hélio. O senhor salvou a vida da Andrea e isso nunca vou esquecer. Preciso mandar positivo para Maria e agradecer o mantra. Vai também um positivo para Nélia. O kaffieh que você me deu está limpinho. Por fim, mandar um positivo para Noemy, que sempre vai estar em minha caravela.

 

Marcio Fernandes é jornalista!

 

A música de hoje é Ani Le Dodi, com a maravilhosa Fortuna!

 

Avatar

Este post foi escrito por: Marcio Fernandes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

2 comentários em "Adeus Portugal e que venha a Espanha"

  • Avatar Noemy Faria disse:

    Oi Marcinho, qta honra receber um positivo seu. Fiquei tão emocionada que chorei um pouco mais. Sinto que a espiritualidade se faz presente a todo momento. Te amo além deste mundo. ❤️

  • Avatar Clara Accioly disse:

    Bela caminhada. Obrigada por compartilhar. Bom caminho.

Deixe uma resposta