sábado, 18 de maio de 2024

Artista-sabotador é banido de Firenze

 

Conexão Fiorentina  —  Da mesma forma como consegue driblar o esquema de segurança, o artista plástico tcheco, Vaclav Pisvejcv, 51 anos, se esquiva de punições por suas violações ao patrimônio e agressões pessoais. Ele já foi liberado após ter sido detido, no dia 11 último, por atear fogo no tecido negro que cobria a réplica da estátua de David de Michelangelo, na Piazza della Signoria, em Florença (datada de 1910), em sinal de solidariedade com a Ucrânia. Os danos ao monumento vão custar 15 mil euros.

Mas, desta vez, Vaclav foi banido da província de Firenze, onde morava. Há muito ele dá trabalho para a polícia fiorentina. Em 2014 deitou nu na via Zannett, em frente ao museu Casa Martelli – por outras ocasiões também já arrancou toda roupa em público. Em ataque insano, em 2018, atingiu a cabeça da artista plástica sérvia Marina Abramovic, com um retrato dela que ele mesmo havia feito. Ela nada sofreu, já que o material era leve. Na ocasião, Marina quis saber o porquê o artista-sabotador a odiava tanto. Ele respondeu: “Eu tive de fazer isso pela minha arte”.  Já no ano passado, jogou tinta cor de laranja em uma escultura, também na Piazza della Signoria.

 

“Para mim, é difícil entender e processar a violência”, disse Abramovic. “Violência contra os outros não é arte. Eu também fui uma jovem artista desconhecida, mas nunca magoei ninguém. No meu trabalho, enceno situações diferentes e coloco minha vida em risco. Mas esta é a minha decisão e eu defino as condições”.

Os advogados do depredador disseram que ele é um artista puro, que age sem interesses comerciais. E defendem que o acontecido na Piazza della Signoria não foi um ataque de vandalismo, mais uma ação com seu próprio valor estético. E finaliza: “A vanguarda é provocação e transgressão muitas vezes não autorizada”.

 

 

Vamos combinar, há formas mais civilizadas de se protestar contra tudo e contra todos. Como disse o diretor das Galerias Uffizi, Eike Schmidt: “Manchar arte, ou pior ainda, incendiá-la, é tão repudiável quanto queimar livros. As obras de arte devem ser preservadas e essas ações são absolutamente inaceitáveis”.

 

Foto principal: La Vanguardia

Avatar

Este post foi escrito por: Anna Paula Guerra

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

1 comentários em "Artista-sabotador é banido de Firenze"

  • Anna Paula Anna Paula disse:

    Eu também acho inaceitável essa forma de protesta que um artista faz contra trabalhos de outros artistas !! Ele podia pegar um quadro dele e queimar na praça , ou pegar a tinta das cores da Ucrânia e jogar nele mesmo pelado , sempre na maravilhosa Piazza Signoria!! Tenho certeza que faria notícia do mesmo jeito 💙💛

Deixe uma resposta