segunda-feira, 17 de junho de 2024

Chocolate: mocinho ou vilão?

 

Nesse 7 de julho comemora-se o Dia Mundial do Chocolate. Apreciado por muitos, é acusado de ser o vilão da dieta, por conta do sabor irresistível, entretanto a iguaria pode trazer uma série de benefícios. É o que revela o médico nutrólogo Weder Willian.

 

O chocolate tem como principal matéria prima o cacau, que é misturado a açúcar e leite. No caso do cacau em pó, por exemplo, o alimento é produzido esmagando os grãos e removendo a gordura ou a manteiga do fruto. Weder Willian destaca que o cacau conta com compostos importantes que podem trazer benefícios à saúde.

 

Acredita-se que a civilização Maia, da América Central, foi a primeira a utilizar o cacau e que foi introduzido na Europa pelos conquistadores espanhóis, no século 16. Rapidamente o fruto tornou-se popular pelo mundo, tendo o chocolate como principal iguaria feita à base do cacau.

 

O cacau é rico em polifenóis, que são antioxidantes naturais encontrados em diversos alimentos – como vinho, chá, frutas e vegetais – e abundante em flavonoides, que têm potentes efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios. Por conta disso, foram associados a vários benefícios à saúde, a exemplo de redução da inflamação, melhoria do fluxo sanguíneo, redução da pressão arterial, melhoria dos níveis de colesterol e açúcar e redução da velocidade de envelhecimento da pele.

 

O nutrólogo Weder Willian destaca uma série de benefícios que o chocolate pode trazer à saúde. Claro que sem esquecer que parcimônia e moderação são fundamentais para uma boa dieta. Weder ressalta ainda que os chocolates que apresentam maior percentual de cacau, chocolate 70%, por exemplo, são os que possuem mais antioxidantes. Vale destacar que uma alimentação saudável, associada a atividades físicas e repouso adequado formam os pilares para uma boa saúde.

 

O cacau, tanto em pó quanto em chocolate amargo, pode ajudar a reduzir a pressão arterial. O fruto tem outras propriedades que podem reduzir o risco de ataque cardíaco e derrame. Diminui ainda o colesterol LDL, conhecido como colesterol ruim, tem um efeito de afinamento do sangue semelhante à aspirina, reduz o açúcar no sangue e a inflamação.

 

Os flavonóis do cacau podem apoiar a produção de neurônios, a função cerebral e dar um “up” no fluxo sanguíneo e no fornecimento do tecido cerebral. O fruto pode exercer alguns efeitos positivos sobre o humor e os sintomas de depressão, reduzindo os níveis de estresse e melhorando a calma e o bem-estar psicológico geral.

 

Encontrados no cacau e em frutas, vegetais e outros alimentos, os flavonóides têm atraído atenção devido às suas propriedades de proteção contra o câncer, baixa toxicidade e poucos efeitos colaterais adversos. De acordo com um estudo publicado no Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, o cacau foi revelado como um alimento com propriedades imunorreguladoras, em particular a resposta inflamatória inata e a resposta imunológica adaptativa sistêmica e intestinal.

 

Com: Palavra Comunicação

Foto: Pexels by Vladimir Gladkov

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta