quinta-feira, 18 de julho de 2024

Cidadania italiana? Quem não quer!

Para realizar o sonho do passaporte europeu, muitos brasileiros entram com um processo de cidadania na Itália para conseguir o documento, que traz benefícios como se deslocar pela Europa e outros países sem precisar de visto.

Basicamente, existem duas formas de se conseguir o registro: por consulados italianos no Brasil — o que pode levar até 10 anos —, ou entrando com um processo direto na justiça da Itália — durando em média 2 anos.

Acontece que algumas prefeituras estão ficando revoltadas com a quantidade de pedidos de cidadania feitos por brasileiros e as diversas solicitações de registros dos antepassados italianos.

A reclamação é de que os tribunais das cidades — principalmente daquelas com menos de 10 mil habitantes — ficam sobrecarregados com esses processos e acabam demorando para cuidar dos casos de moradores.

O prefeito da cidade de Val di Zoldo ficou tão bolado com a situação que pendurou uma bandeira do Brasil na sacada da prefeitura e colou um recado informando sobre o atraso nos serviços à população como forma de protesto.

Em números: só na região de Vêneto — de onde saíram muitos italianos rumo ao Brasil no final do século XIX —, foram 12 mil pedidos feitos à justiça no ano passado, sendo a grande maioria de brasileiros. Em Veneza, foram 17 mil ações.

O Brasil é o país com o maior número de descendentes fora da Itália. São 32 milhões. Com isso, empresas querem aproveitar esse “tamanho de mercado” e facilitar o pedido de cidadania. A startup Cidadania4u criada para agilizar os processos usando tecnologia viu o faturamento anual saltar de R$ 1 milhão em 2019 para R$ 56 milhões em 2022.

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

1 comentários em "Cidadania italiana? Quem não quer!"

  • Anna Paula Anna Paula disse:

    E como a natalidade caiu bastante na Itália, e não está tendo reposição de mão de obra , contar com a descendência dos avós que partiram da Itália em tempos difíceis, pode ser uma solução 🇮🇹🇧🇷

Deixe uma resposta