sexta-feira, 12 de abril de 2024

Como nasceu O Araguaia, a música

Por Rinaldo Barra, músico

Era Julho de 1974. Nosso grupo de amigos preparava ansiosamente as férias às margens do Rio Araguaia.

Dias antes, imaginando, sonhando e prevendo a emoção de conhecer aquela beleza de rio, rabisquei os versos que, passando posteriormente por alguns retoques, se tornaram uma doce homenagem ao rio. A melodia brotou juntamente com a letra.

O mano Marcelo, que apesar de adolescente à época, com seu talento e expertise, enriqueceu sua harmonia e ajustou trechos da melodia. Nascia a canção ARAGUAIA. Tudo ficou muito parecido com o que era contemplado pelo grupo ali. Brancas areias, fogueira, céu estrelado, nostalgia… Hoje, tenho um sentimento de que o roteiro parecia estar pronto para ser executado, um novelo pronto para ser desfiado. E foi.

Sei que voltamos do acampamento com peles bronzeadas, muitas marcas de picadas de mosquitos e a certeza de que tínhamos cravado o primeiro alicerce na construção da nossa história na cultura goiana. E o grupo de ótimos amigos era testemunha .

 

Em 1976, inscrevemos a música no Festival ComunicaSom , organizado por Arthur Rezende. O evento era a grande manifestação cultural do Estado.

Araguaia, interpretada por Marcelo Barra, venceu o certame. Ainda ecoam na memória as vozes vindas de praticamente toda a plateia presente no ginásio lotado, cantando o seu refrão em uníssono, proporcionando uma emoção inenarrável e absolutamente inesquecível.

No júri, o produtor Roberto Santana (RJ), diante da magia do momento, já a imaginava no repertório do LP de uma cantora de muito sucesso.

Alguns meses depois, seria gravada por Fafá de Belém em seu álbum denominado Água ,lançado em todo o Brasil pela gravadora Polygram. Era a decolagem definitiva. Em seguida, Marcelo Barra lançaria sua gravação, que o inscreveria definitivamente no mundo da música profissional. A música ficou conhecida em todo o país , se transformando praticamente em hino popular do goianos. Outras tantas gravações se sucederam, por diversos cantores, musicistas , orquestras e corais.

Com um refrão muito romântico : “Meu Araguaia, suas areias cobriram meus pés, seu encanto fez do pranto, um acalanto pra nós dois”, um jovem sonhador, em plena década em que a música americana invadia as emissoras de rádio e salões de festas de todo o país, diante de seus 18 aninhos, se entregava à poesia regional e à beleza do Rio Araguaia, um encontro com tanta identificação, ao ponto de causar o atrevimento de chamá-lo carinhosamente de “meu”.

Fotos: Ailton Lima

 

Avatar

Este post foi escrito por: Rinaldo Barra

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta