quinta-feira, 18 de julho de 2024

Companheiros gatos-guia

Foto: Loran Smith, Time Inc.

 

Enfrentar as dificuldades de perder a visão definitivamente não é tarefa fácil. Quando se está sozinho então, os obstáculos podem se tornar ainda maiores. Para encarar esse desafio imposto pela vida, a norte-americana Carolyn Swanson recorreu a uma ajuda, no mínimo, diferente: seu gato, Baby.

 

Foto: Loran Smith, Time Inc.

 

Em 1947, na cidade de Los Angeles, por onde andava a senhora atraía a atenção de todos com seu felino preso à guia. Até hoje não se sabe exatamente o que motivou Carolyna ter Baby como gato-guia, mas ficou comprovado que ele era muito eficiente em sua função. O bichano guiava sua dona pelas ruas e, na época, conquistou até mesmo uma medalha de honra por seus serviços. O caso atraiu tanta atenção que até a famosa revista Life enviou um fotógrafo para verificar o caso.

 

Em 2003, no Arizona, o consultor de seguros Robert Sollars ficou cego devido a uma lesão causada pela diabetes. Ao lado de sua esposa, seu gato, Admiral K’reme, se tornou o principal ajudante dele para as tarefas diárias, guiando-o pela casa e antecipando seus movimentos. Até mesmo durante as idas ao banheiro, o felino o ajudava. Quando Robert se levantava no meio da noite, o animal o seguia pela casa, miando até seu tutor voltar para a cama.

 

Para o consultor de seguros, foi reconfortante contar com a companhia e ajuda do gato. Mesmo 10 anos depois, com o dono já adaptado à vida sem visão, o bichano continuou a ampará-lo. Ainda hoje, ele se preocupa quando Robert sai de casa para colocar o lixo ou buscar uma correspondência, por exemplo: fica miando até o tutor voltar para dentro de casa.

 

Amparo entre espécies – O gato que virou guia de um cão cego

 

Fotos: Wales News Service

 

A compaixão dos felinos não é apenas pelos humanos, mas também por outros animais. A gatinha Pudditat, por exemplo, tornou-se os olhos do labrador Tervel, de 14 anos. Quando era filhote, o cão sofreu agressões que lhe causaram dificuldades quando adulto: ele ficou cego e parcialmente surdo. Por causa de suas limitações, o animal se isolava de todos, ficando deitado na maior parte do dia. Tudo mudou quando a felina chegou à sua casa e uma leal amizade entre eles floresceu.

 

Fotos: Wales News Service

 

Pudditat assumiu o cargo de gato-guia do amigo canino, auxiliando-o durante a rotina. O cachorro passou a se sentir mais seguro e movimenta-se com mais facilidade, seguindo os passos da felina, que o orienta de perto e o direciona. Ela usa as patas para guiar o cão e, hoje, chegam a dormir juntos.

 

Fotos: Wales News Service

 

As histórias, além de surpreendentes, nos instiga: assim como cães, os gatos também podem auxiliar deficientes visuais e se tornarem seus guias?

Avatar

Este post foi escrito por: Rimene Amaral

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta