quinta-feira, 25 de abril de 2024

Cuidados com o dinheiro em cenário de guerra

 

Luzimar Guimarães nunca teve uma relação fácil com a matemática pura durante a infância. Foi pulando de série que se adaptou e superou as dificuldades, graças à ajuda da calculadora HP-12C. Cursou a faculdade de Economia – que não é uma ciência exata, como grande parte das pessoas a entendem, e sim, ciência social, na qual a matemática pode ser empregada – e hoje é assessora de investimentos e diretora do escritório de Goiânia da Prosperidade Investimentos. Então aqui está a prova de que mesmo quem não tem uma relação amigável com a matemática consegue, sim, atuar no mercado financeiro. Nesta entrevista, ela fala sobre a relação das mulheres com as finanças e dá dicas importantes para proteger o dinheiro em tempos de intempéries de toda sorte.

BBNews – Luzimar, você já tem um bom tempo na seara das finanças. Esse segmento esteve sempre de portas abertas para as mulheres ou esta é uma conquista recente?

Luzimar – Depois de vários anos atuando neste mercado, percebo que avançamos bastante. No início, éramos vistas como uma raridade nesta área e nem sempre ocupávamos os cargos mais importantes nas instituições. Atualmente, ganhamos mais força quando o assunto é investimentos, onde se exige, além do conhecimento, a atenção aos detalhes, que é uma seara onde temos mais afinidade, além de serem as finanças um assunto tipicamente comportamental.

BBNews – Na sua casa, quem cuida das finanças? Há divergência entre você e seu marido?

Luzimar – Nos conhecemos na faculdade de Economia, então já tínhamos essa afinidade. Meu marido, Ataíde Henrique Duarte Júnior, também é economista com mestrado na área e gosta bastante de atuar. Assim, conto com parceria dele para administrar as finanças, mas investimento é minha responsabilidade.

BBNews – Qual a maior dificuldade das mulheres na lida com o dinheiro?

Luzimar – Historicamente, este assunto estava mais ligado aos homens, porque eram eles os provedores. Hoje, esta realidade mudou e as mulheres conquistaram sua independência financeira. É fundamental que elas estejam familiarizadas com suas finanças e suas necessidades, para poder equilibrar consumo e a oportunidade de fazer investimentos que lhes garantam um futuro mais tranquilo.

BBNews – Por serem mais cuidadosas e observadoras, as mulheres podem gerir melhor o patrimônio da família ou essa é uma tarefa da qual os homens não abrem mão?

Luzimar – Não se pode negar que as mulheres são mais observadoras e cuidadosas por natureza. Porém, os homens normalmente, são mais racionais e não se deixam levar pelas emoções e/ou gastos por impulso. Entendo que a soma destes atributos leva a um resultado interessante.

BBNews – Há no mercado algum tipo de investimento exclusivo para as mulheres, carteiras específicas etc?

Luzimar – Algumas casas de investimentos até tentam inovar, incluindo em seu portfólio fundos de empresas que são geridas por mulheres. Mas esta diferenciação não é fator determinante de sucesso na rentabilidade, uma vez que o bom desempenho de um investimento está atrelado a diversos fatores de mercado, independentemente do gênero.

BBNews – Você ensina educação financeira para suas filhas?

Luzimar – Sim. Tenho duas filhas gêmeas, Laura e Luísa, que estão hoje com 15 anos. Desde os 12 anos, repassei a cada uma um cartão de crédito adicional ao meu e disponibilizei um limite definido para que tivessem o primeiro contato com as finanças e exercitassem o controle de gastos. Quando completaram 14 anos abri uma conta para cada uma em plataforma de investimentos para que elas aplicassem o dinheiro que foi poupado do limite que não foi gasto. Como forma de estímulo, este investimento está relacionado à realização de algum sonho ou algum objeto que sonham possuir. Elas acompanham mensalmente a evolução dos investimentos. Isso faz também com que tenham consciência de que quando reduzimos os gastos, os investimentos aumentam e os sonhos podem ser realizados mais rapidamente.

BBNews – Segundo recente pesquisa do Raio X do Investidor, 72% das mulheres ainda não são investidoras. Acha que isso se deve ao fato de que as que têm dinheiro preferem entregá-lo para que os homens administrem?

Luzimar – Dado o sucesso que as mulheres vêm alcançando nesta área, este é um mito que vem sendo desconstruído nos últimos tempos. Penso que este percentual deve cair à medida que aumentar o número de mulheres com renda individual e também porque vão adquirindo mais conhecimento sobre finanças. Àquelas que já têm dinheiro, talvez a insegurança em investirem sozinhas seja o motivo. Por isso, é importante contarem com uma assessoria de investimentos especializada para iniciarem.

BBNews – Em que devem investir pessoas com 10, 50 e 100 mil?

Luzimar – Importante considerar o perfil de risco e os objetivos de cada investidor, antes de qualquer sugestão de investimentos. Uma dica para quem deseja iniciar os seus investimentos neste atual cenário, com valores até 50 mil, seriam os produtos mais conservadores e pós-fixados como: Tesouro Direto SELIC ou IPCA, Fundos de Renda Fixa, além dos próprios Títulos de Renda Fixa como CDB/LCA/LCI também com taxas pós-fixadas ou IPCA +. Para valores entre 50 mil e 100 mil, além dos já citados anteriormente, cabe uma diversificação em outras classes de investimentos, que podem ser um pouco mais arrojadas se o seu perfil assim permitir. Importante ressaltar ainda, que é necessário manter uma reserva de emergência, que corresponde a 6 vezes a renda mensal, alocada em investimentos com liquidez diária.

BBNews – Nessa ciranda econômica, como melhor proteger o dinheiro?

Luzimar – Atualmente, estamos passando por um momento econômico crítico pós-pandemia e ainda enfrentando conflitos externos, motivos pelos quais a inflação é uma consequência. Quando isso acontece, precisamos proteger o valor do nosso dinheiro, ou seja, o nosso poder de compra. Para conter o processo inflacionário, o Banco Central vem aumentando a taxa de juros (SELIC). Esta política monetária torna os investimentos em renda fixa pós mais atrativos, pois acompanham a taxa de juros, neste movimento de alta. Outra alternativa interessante  são aquelas que rendem IPCA + (índice que mede a inflação), pois nos garante o poder de compra.

BBNews – Quanto de nossa economias devemos guardar e quanto podemos gastar com prazeres como viagens, por exemplo?

Luzimar – Existem convenções que na prática são bem parecidas e contemplam uma distribuição como esta: 50% para os gastos fixos; 30% para poupar; 20% para lazer.

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

4 comentários em "Cuidados com o dinheiro em cenário de guerra"

  • Anna Paula Anna Paula disse:

    Ótima reportagem como sempre !!! Esclareci várias dúvidas 👏👏👏👏

  • Avatar Ubaldina disse:

    Adorei !!!!
    Luzimar é excelente no que faz ! Minha consultora há anos!
    Parabéns pela entrevista ! Sucesso sempre

  • Avatar Elizabeth Cristina da Costa disse:

    Parabéns, Luzimar, pela entrevista!
    Sua competência e seu atendimento tão atencioso me deixam a vontade para construir meu modo particular de lidar com meus assuntos financeiros. Obrigada!

  • Avatar Ester Carvalho disse:

    Nada como ter uma consultoria financeira como a Luzimar. É atenta ao mercado, às melhores opções para os investimentos, mas sempre considera as nossas necessidades e o nosso perfil. Sou fã e sempre serei uma cliente, esteja ela onde estiver.

Deixe uma resposta