sábado, 18 de maio de 2024

Está fechado o meu pacto com Varsóvia

 

Marcio Fernandes –  Os campos da Polônia estão plenos de semeadura. Crescem trigo, milho, canola, feno! Que Deus queira e doe uma colheita farta e boa! Ontem, o sol não apareceu e caiu chuva fria e fina. Certamente é bom para a terra a chuva que dá os frutos. Aqui no Norte da Europa o inverno é muito rigoroso e há no máximo quatro meses para se ter uma safra por ano! Só quem tem a terra congelada sabe o valor da primavera e do verão!

 

As florestas de coníferas estão por toda parte a perder de vista e casas isoladas com telhados de ângulo bem inclinado completam esta paisagem produtiva! Os relâmpagos explodiam no céu e refletiam no vagão do trem enquanto a trovoada anunciava que o tempo pode ter mudado mesmo! Nos trilhos, e com Sérgio Mendes & Brasil ’66 no fone de ouvido, eu segui para Varsóvia a descobrir mais uma cidade da Polônia de gente simples, desconfiada e pronta para tentar te socorrer com gestos, mímicas e um sorriso salvador!

 

 

O polonês está longe de ser um povo alegre e expansivo. Talvez seja em decorrência dos traumas de guerra, da dominação soviética e da permanente ameaça do colonialismo imperial da Rússia! Com muita razão, a Rússia de Putin é tratada como inimiga número um do povo polonês. Inclusive, há na Estação de Trem de Varsóvia uma campanha publicitária dos maiores atletas poloneses em suporte à exclusão da Rússia dos jogos Olímpicos! Penso que os atletas russos não podem ser penalizados pela irresponsabilidade política de um autocrata. Por outro lado, estou com os poloneses! Não tem essa de tratar inimigo com cortesia! É pão no espeto!

 

Este foi o último trem da viagem. O último apito que avisa as partidas e chegadas nas estações! Despedida é algo que me dilacera! Como foi nos aeroportos com Aletéia! Sinto uma dor doída até de quem eu não conheço e deixa o trem sem me dizer tchau!

 

 

Pouca gente no Brasil sabe o que é o apito de estação e o próprio trem. Acho que sou a última geração brasileira que viajou de trem de passageiros. Eu sou filho de ferroviário. Meu pai era dentista da Rede Ferroviária Federal! Fui criado no ambiente dos trilhos, conhecia as locomotivas e os vagões.  Me lembro até do sabor da comida do trem em direção a Goiandira (GO).

 

Todo mundo fala do ex-presidente Juscelino Kubitschek com tremenda reverência. Eu tenho minhas objeções. JK destruiu o sistema ferroviário de alto padrão que havia no Brasil! Exigência das montadoras de automóveis que foram se instalar no bananal desalmado a pretexto de industrializar o país. O militares seguiram as ordens de Washington e o ex-presidente FHC jogou a pá de cal no sistema. É uma vergonha um país demorar 34 anos para fazer a Ferrovia Norte Sul e vários presidentes fingirem que estavam inaugurando a obra. Para não falar da roubalheira de três décadas!

 

 

Meu Deus! A cidade antiga de Varsóvia é deslumbrante! Na verdade, quase todo este pequeno sítio histórico foi reconstruído sob o comando do arquiteto conservador Jan Zachwatowicz após fim da ocupação nazista. Os edifícios laicos e religiosos são de grande porte e coloridos. É verdade que em termos de equipamento turístico, Cracóvia faz sombra a Varsóvia, mas valem dois dias por aqui. Mesmo não sendo uma Viena, há boa agenda de música erudita, muitas galerias, museus, antiquários e uma joalheria de arte única que tem por base o âmbar do Báltico! Espetáculo!

 

 

Outro detalhe interessante da cidade é o ambiente democrático. Gatinhas do neopunk todas tatuadas e cabelo azul convivem sem mágoas com os padres de negras e longas batinas. Vou embora no sábado com saudade mais para fraca do Brasil! Para falar a verdade, hoje bateu uma saudade forte do caldo de cana ao ouvir Na Cadência do Samba com o próprio Ataulfo Alves! Está fechado meu pacto com Varsóvia!

 

 

Dois dias atrás em Cracóvia lavei quase totalidade da minha roupa! Apesar do sufoco de operar a máquina de lavar em polonês – não me esqueci do sabão, filha – a operação foi coberta de êxito! Expressão do grande coronel Efigênio de quem fui amarra-cachorro paralelo! Um positivo antecipado ao senhor! Aprendi muito sobre o militarismo ao prestar atenção na carraspana que o senhor passava em seu Estado Maior!

 

 

A última vez em que lavei a roupa data de 24 de maio do corrente ano! Uai, Marcinho, mas você diz que é muito asseado? Positivo! Super limpinho! Claro, fui arrumando situação nas pias dos banheiros com uso de água bem quente e do sabonete e o shampoo disponíveis! Improvisação de resultados!

 

 

Desta vez lavei mesmo a roupa e vou dar nota 7,8 em avaliação prévia da iniciativa! Por que não dar um 10? Tem explicação! 10 é a perfeição e meu serviço não foi perfeito! Perfeição era o Filé à Cubana do Restaurante Salerno às duas da madrugada no campo do Atlético depois de ser expulso do Zero Bar! Perfeição era o câmbio no primeiro governo do Lula! Mas está melhorando! Não leio noticiário, no entanto estou atento ao câmbio! Presidente Lula, vamos fechar o governo com dólar em 3,3! Sinto que há potencial para isso! Por enquanto é só uma vibração positiva! É da possibilidade que vem as grandes conquistas!

 

 

Vamos positivar o pessoal? Pois é o que a galera aprecia!

 

O primeiro positivo vai para Edson Crosara! Além de ser o melhor contador das Américas, você é um professor de gentileza! Estou contando com churrasco na volta!

 

O segundo positivo para Débora de Compostela! Querida amiga, ainda irei te ver nos belos horizontes da vida!

 

Preciso positivar Alencar Jr., grande piloto de automóveis! Foi bom te encontrar e precisamos marcar uma entrevista! Não gosto de carro, mas sou ferrarista doente!

 

Quero mandar um positivo para a Simone Borges! Você de julho não me escapa! Vamos tomar vinho grande!

 

Por fim antecipar o positivo para o pessoal da Bolívia e Peru. Estarei presente em setembro para prestigiar todos vocês e gastar os dólares do Daniel! A fila anda!

 

Texto e fotografias Marcio Fernandes!

A música de hoje é Righteous Life com Sérgio Mendes & Brasil ’66 na voz preciosa de Lani Hall! Beijos Lani!

 

Avatar

Este post foi escrito por: Marcio Fernandes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

6 comentários em "Está fechado o meu pacto com Varsóvia"

  • Avatar Maria Leda disse:

    Maravilhosa matéria meus parabéns lugar gratificante lindoo ameiii

  • Avatar Noemy Faria disse:

    Marcinho, parabéns pela matéria! Me deu tanta saudade do Restaurante Salerno ( comida deliciosa) e também do Zero Bar. Quantas madrugadas❤️❤️❤️❤️

  • Avatar Américo Vasconcelos disse:

    Olá Márcio. A Polônia lembra-me um casal de amigos Poloneses, que conheci na minha turma de Inglês em Londres. Tenho foto deles lá naquela fonte de “Trafalgar Square” em Londres. Algo que nunca esqueci. Comiam Banana com uma reverência e cuidado, como se fosse a fruta proibida do paraíso. Imagine a vida deles? Jovens que vinham de um país subjugado pelos Russos. Importar banana, o seja comércio, não existia. Assim, essa fruta era algo muito especial. Márcio, sermos uma Bananolandia tem futuro?

  • Avatar Clara Accioly disse:

    Excelente, como sempre.

Deixe uma resposta