sexta-feira, 12 de abril de 2024

Eu te desejo um mundo libanês

 

Renata Abalém — O sonho de qualquer escritor é ser lido. Posso contar sobre essa experiência e digo que nela reside um misto de sensações… textos são como filhos e por óbvio, lembramo-nos dos momentos nos quais foram concebidos e quando foram lançados ao mundo. Mas, uma vez públicos, deixam de ser nossos para serem abraçados por qualquer que por eles se identifique, mesmo que estes, por amá-los demais, deles se apropriem.

 

Passei por isso e já há três anos a experiência se repete… e quando acontece, é uma avalanche de emoções.

 

Digo isso para começar a contar a história de um texto meu, simples, despretensioso, que por obra do mundo virtual, pelas minhas contas, já foi traduzido para no mínimo, sete idiomas e que talvez você já tenha lido, pois no final do ano ele é distribuído como os melhores votos para o ano seguinte.

 

Conto a história:
Estava eu com Covid no final de 2020, em isolamento, oscilando momentos de febre, sono e medo. Como sempre, emocionada com a vida, o que a doença não me roubou. Eu borbulhava. E com a intenção simples de desejar um “Feliz Ano Novo” aos amigos, escrevi meus votos no dia 31.12.2020 e enviei para alguns grupos de whatsApp e publiquei nas minhas redes.

 

Algumas poucas horas depois e digo poucas porque em menos de cinco horas depois eu comecei a receber mensagens de amigos que disseram ter replicado o texto, pois o mesmo “falara” muito ao coração deles.
No dia seguinte de manhã, alguns amigos de outros estados começaram a receber o texto em inglês e português, mas sem assinatura.

 

Às 16:53h do dia 1º. de janeiro de 2021, recebi uma mensagem de um nosso confrade, Roberto Duailibi, que ainda não conheço pessoalmente, perguntando-me da autoria do texto, pois havia recebido o mesmo em português e em inglês, de uma sua prima que vivia nos Estados Unidos. Na mensagem, ele profetizou que o texto viralizaria. Comentei da simplicidade das palavras e da ausência de outras intenções, a não ser é claro, os singelos votos comuns nos finais de ano.

 

Ele fez a gentileza de publicar o texto e falar sobre mim na página que mantém na internet: familyd.net, situação que me resguardou a autoria, pois nos anos seguintes, li o texto muitas vezes como se fosse de outros autores. Muito obrigada Duailibi!

 

Às 21:00h do mesmo dia já havia recebido o texto em francês.

No dia seguinte, meu aniversário, recebi o texto em árabe.

Que presente!

Espanhol, alemão e até turco!

Digo que é uma sensação bem interessante essa.

 

Aprendo com esse texto todos os anos quando ele, de alguma forma, chega até mim (ele é replicado desde então): que texto bom é aquele escrito com emoção… mas, o maior ensinamento é que o Líbano é de todos nós e está na nossa realidade e na nossa imaginação como sempre esteve e como sempre estará.

 

Eis o texto:
Eu te desejo um ano libanês…um ano de renascimento como só o Líbano serve de exemplo..
Eu te desejo um ano de fartura, como são as nossas mesas;
Um ano doce, como são as nossas frutas;
Um ano perfumado como é a nossa água de rosas.
Eu te desejo um ano de abraços e beijos, como nós gostamos de dar…
Um ano de muita música e dança como são as nossas festas…eu te desejo uma grande roda de amigos, como são as nossas rodas de dabke..
Eu te desejo um ano libanês…
Um ano de riquezas como as nossas, que somos os inventores do comércio;
Um ano de aceitação como aceitamos todos os credos que estão no nosso solo.
Eu te desejo um ano libanês.. que você alcance o favor do mundo, que a sua história dure milhares de anos e seja recontada pelos séculos em todo o planeta…que você tenha para dar e repartir e o coração aberto para receber qualquer refugiado que bater na sua porta.
Que seus navios sejam fortes e suportem o mar aberto e as tempestades como as naus fenícias.
Eu te desejo um ano libanês.. que você seja diferença em qualquer lugar para onde for, que você seja o mascate das boas notícias, a terra fértil do Bekaa e a firmeza das montanhas do Ehden, independente do seu tamanho….porque temos apenas 10.452 km e somos o maior país do mundo…A porta do Universo…Eu te desejo um 2021 libanês.

Renata, 31.12.2020

E como autora, quero traspassá-lo! Permita-me:

 

EU TE DESEJO UM MUNDO LIBANÊS

Eu te desejo um mundo libanês!
Águas claras e pacíficas como as de Jounieh..
Secretos e lindos segredos como os de Jeita;
A eternidade como o Bekaa..(junto com a melhor esfiha do mundo)
Noites adoráveis como as de Beirute;
Histórias como as de Hirão;
Poesias como as de Tuéni,
Filosofia como a de Gibran.
Que você consiga entender as mensagens como as de Jbeil;
Que você tenha raízes profundas como as dos Cedros de Deus….
Que você alcance os lugares altos, como a ponta dessas árvores e
Suporte qualquer dificuldade como o Lazzab, a árvore que não está na bandeira, mas não é menor em importância.
Que você ande nas nuvens como nós andamos em Ehden,
Que resista ao inimigo, como nós fazemos no Norte;
Que você tenha a coragem e a valentia das mulheres de Zgharta.
Que você possa brindar com o melhor vinho e banhar-se no melhor azeite…
Que você possa morar no Líbano que desejar, o Líbano das suas mais doces memórias, o Líbano fecundo e próspero, real e imaginário..
Que você possa sonhar como todos nós libaneses, que sonhamos com um país melhor porque somos o Universo em poucos quilômetros.
Renata, 26.06.2023

 

Artigo escrito para a primeira edição da Revista Libanus, da Academia Líbano-Brasil

Avatar

Este post foi escrito por: Renata Abalém

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta