quinta-feira, 25 de abril de 2024

Fotografias de Zenha expressam desejo e sensualidade

 

Alejandro Zenha não é apenas mais um nome no vasto universo da fotografia. Este fotógrafo goiano tem dado o que falar com sua abordagem ousada e sensual, que tem como principal objetivo explorar e celebrar o erotismo como forma de arte.

 

Mergulhando na fina linha entre erotismo e pornografia, Alejandro tem desafiado preconceitos e tabus. Suas fotografias, muitas vezes, capturam a essência do que muitos consideram vulgar ou escandaloso. No entanto, através de suas lentes, essa ‘vulgaridade’ se transforma em uma celebração da beleza humana e da expressão do desejo.

 

Envolto em uma atmosfera fetichista, o trabalho de Alejandro não se restringe ao universo gay. Ele engloba o amplo espectro da sexualidade humana, transformando corpos em um elegante balé de paixão e desejo, tudo meticulosamente capturado em suas fotos.

 

 

Quem é ele

Alejandro Zenha, natural de Goiânia, desde cedo mostrou-se uma figura curiosa e inovadora no mundo das artes. Começou sua jornada de forma autodidata nas artes aisuais enquanto simultaneamente estudava arquitetura e urbanismo. Seus primeiros trabalhos, voltados à pintura e ao desenho, carregavam uma visão estética influenciada pelas paisagens urbanas, dando vida a traços inspirados nas configurações das cidades.

 

Durante sua graduação, a paixão pela fotografia foi acesa. Alejandro começou a capturar edifícios e personagens que permeiam o cotidiano das cidades. Com o tempo, sentiu-se cada vez mais atraído pela rapidez e pelo imediatismo da fotografia, algo que não encontrava mais na pintura e no desenho.

 

Enquanto aprimorava seu olhar, inspirou-se em fotógrafos renomados, como Spencer Tunick e Kazuo Okubo, que captavam a essência da relação entre cidades e seus habitantes.

 

De 2018 a 2020, Alejandro se dedicou à Série Territórios, onde explorou a interação entre corpos e edifícios emblemáticos de Goiânia. Deixando de lado a rígida geometria e arquitetura, Alejandro abraçou uma abordagem mais introspectiva e autobiográfica. Com referências artísticas intactas, ele apresenta ao mundo uma fotografia simultaneamente intensa e pura, caótica e minimalista, desafiando e explorando os limites tênues entre erotismo e pornografia. Alejandro Zenha, sem dúvida, é um nome a ser lembrado na fotografia contemporânea.

 

Com: Laio Andrade

@alejandrozenha

 

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta