quinta-feira, 25 de abril de 2024

Goiás avança em produção de energia limpa

 

Desde meados de 2010, o mercado de energia solar passa por uma evolução constante e crescente. Mudanças na tributação e popularização dos preços dos módulos fotovoltaicos fizeram a instalação de novos sistemas de energia solar disparar em Goiás. Somente neste ano, foram instaladas 16 mil usinas de energia fotovoltaica no estado, que já soma um total de 86 mil usinas instaladas em residências, comércio, indústria e no campo.

 

Em um ano, foram mais de 20 mil novos consumidores usufruindo da energia vinda do sol. O que totaliza 110 mil goianos usuários de energia fotovoltaica. Esses números colocam Goiás em sétimo lugar na geração e distribuição de energia solar. Os dados são da Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica). O município líder no mercado de geração e distribuição solar em Goiás é Goiânia, com 173 MW de capacidade instalada. Anápolis, Rio Verde e Aparecida de Goiânia são as outras cidades que superam 50 MW de potência operacional.

 

De acordo com estimativas da EPE (Empresa de Pesquisa Energética), espera-se que a capacidade instalada de energia solar em Goiás alcance números expressivos. Essa projeção reflete o potencial de expansão do setor no estado, impulsionado por incentivos governamentais, mais redução de custos e demanda crescente por energia limpa e renovável.

 

Segundo a advogada especialista em Direito de Energia e vice-presidente da Comissão Especial de Direito de Energia da OAB/GO, Thawane Larissa, apesar dos avanços, há muito mercado ainda para ser expandido. Ela advogada destaca que é preciso mais incentivos governamentais para impulsionar esse crescimento esperado pelo setor.

 

 Mercado no Brasil – Levantamento da Absolar (Associação Brasileira de Energia Solar Fotovoltaica) aponta que o país superou este ano a marca de 2 milhões de sistemas solares fotovoltaicos instalados em telhados, fachadas e terrenos. Para a entidade, os números mostram o potencial de crescimento do setor. No começo deste ano, a energia solar ultrapassou a fonte eólica (gerada pela força do vento), passando a ocupar o segundo lugar na matriz elétrica brasileira.

 

Do total da potência instalada no país, 14,3% vêm da energia solar, perdendo apenas para a hídrica (51%). Os dados da Absolar apontam que a tecnologia fotovoltaica já está presente em 5.530 municípios e em todos os estados, sendo Minas Gerais, São Paulo, Rio Grande do Sul e Paraná com as maiores participações. A meta da entidade é atingir todos os 5.570 municípios até o fim do ano.

 

Com: Rhudy Crysthian

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta