segunda-feira, 17 de junho de 2024

Goiás vai abrigar novo polo aeronáutico

 

Com participação de 27,4% no PIB brasileiro, o agronegócio é uma das mais poderosas cadeias produtivas de nossa economia, impulsionando outros setores, como o de transporte e logística, imobiliário e o comércio. E há um segmento econômico que também é fortemente impactado pelo agro: a aviação de negócios.

Com 2.432 aeronaves, a aviação agrícola brasileira registrou um crescimento de 3,4% em 2021, segundo dados do Sindicato Nacional das Empresas de Aviação Agrícola (Sindag). Com isso, o Brasil tem hoje a segunda maior frota agrícola do mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, com mais de 3,6 mil aeronaves. De acordo com o Sindag, Goiás tem a quarta maior frota de aeronaves agrícolas do País, com 295 equipamentos.

Atento a esse potencial, um grupo de empreendedores está construindo na região metropolitana de Goiânia a maior infraestrutura para aviação geral do Centro-Oeste e uma das maiores do Brasil. Com investimentos da ordem de R$ 100 milhões, o Antares Polo Aeronáutico será voltado para a chamada aviação geral, que engloba aviação executiva, serviços aeromédicos, transporte aéreo de cargas, a aviação agrícola, voos regionais ou a aviação regional e a manutenção de aeronaves.

O projeto nasceu após a constatação da necessidade de um lugar amplo, que pudesse atender a aviação bem no centro do Brasil, abrigando o maior e mais completo hub na aviação de negócios no País, como um centro de apoio, de manutenção e escalas da aviação nacional, já que o Estado tem posição geográfica privilegiada.

O empreendimento, com área total de 209 hectares, contará também com terminal de embarque e desembarque, posto para abastecimento, pista de acesso aos hangares (taxiway), área para Fixed Base Operator (FBO), estacionamento para visitantes e área para helicentro, além de outros serviços relacionados direta e indiretamente à aviação geral, que poderão adquirir áreas para se instalarem dentro do sítio aeroportuário.

 

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta