sábado, 18 de maio de 2024

Imigrar para os EUA não é bicho de sete cabeças

 

Sejana Cecílio  —  A imigração nos Estados Unidos às vezes é vista como um tabu; até mesmo um sonho muito distante da realidade. O que quase ninguém sabe é que os EUA têm mais de 185 tipos de vistos diferentes, que geralmente são divididos em dois grandes grupos: os vistos para estada temporária ou os vistos de imigrante para residência permanente.

Essa variedade de vistos é para atender a intenção que cada indivíduo tem quando decide imigrar. E uma pessoa pode ter diversos vistos em seu passaporte. Por isso que quando alguém chega na imigração nos EUA uma das primeiras perguntas que o agente imigratório faz é: “O que você veio fazer aqui nos Estados Unidos?”

Se a sua reposta, por exemplo, for: trazer os filhos para conhecer a Disney, fazer compras em  Nova Iorque ou fazer um negócio temporário, o oficial vai procurar no seu passaporte o visto B1/B2. Por outro lado, se você disser que está vindo para fazer um curso de inglês ou mesmo uma faculdade, o oficial vai procurar o visto F1, de estudante, e assim sucessivamente. Então, há um visto para cada objetivo.

Tenho visto procura crescente dos brasileiros pelos vistos de olho em emprego na América, os Employment- Based Visas (EBs). De acordo com a lei de imigração dos EUA, certos estrangeiros podem imigrar permanentemente para os Estados Unidos com vistos de imigrantes baseados em emprego; obtendo o green-card para si e sua família (cônjuge e filhos menores de 21 anos de idade).

No meu próximo post vou falar da minha experiência de fazer uma faculdade de direito e mestrado nos EUA.

Post escrito por Sejana Cecílio

 

Quem é Sejana Cecílio Crosara – Natural de Goiânia, Goiás, é formada no Brasil em Administração de Empresas, com pós-graduação em Gestão Empresarial pela FGV e também formada em Direito pela PUC. Ela tem experiência em jurisdições de Direito Civil, especialmente no Brasil, Tributário, Contratual, Securitário, Direitos e Defesa do Consumidor, Trabalhista, litígios trabalhistas complexos, negociação de acordos coletivos e hotelaria. Ela tem vasta experiência em estruturação de investimentos e investigações Due Diligence. Sua experiência em Direito Contratual inclui lidar com montadoras de automóveis multinacionais e instituições financeiras. Nos EUA, cursou Direito na Universidade de Miami e recebeu os diploma de Juris Doctor e o de LLM – Latin Legum Magister em Direito Internacional com honras. Ela recebeu o Cali, Prêmio Excelência para o Futuro no Estudo de Sindicatos e Negociação de Acordos Coletivos (2018), concedido ao aluno com a maior nota em cada classe da faculdade de direito. É a fundadora da Crosara Law e advogada licenciada nos estados da Flórida, Massachusetts e Nova Iorque, nos EUA. Crosara Law é um escritório com foco em Imigração e Direito Contratual.

 

 

 

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta