quinta-feira, 18 de julho de 2024

O Brasil e sua inexorável marcha da insanidade

 

Caros leitores sejam homens ou mulheres, por uma incrível escolha de meus pais nasci no Brasil. Simplesmente não fui consultado, mas imagino que com o avanço na tecnologia em breve será possível perguntar ao espermatozoide se ele quer mesmo ser fecundado. Mas elucubrações extemporâneas não cabem aqui, vamos ao que interessa.

 

 

 

Nasci nesse incrível País chamado Brasil, que nunca entrou em uma guerra de verdade. Guerra assim tipo Rússia, Estados Unidos, França, Inglaterra, que já tiveram guerras de verdade em que morrem amigos, filhos, primos irmãos etc. Tivemos escaramuças em que as bombas eram sacos de areia jogados de teco-tecos, embora sobre isso seja feito grande escarcéu histórico, provavelmente por falta de algo mais consistente. Tirem os olhos ou ouvidos das histórias contadas por historiadores contratados para descrever a bravura dos combatentes brasileiros, e olhem para a realidade.

 

 

Estamos vendo os horrores do terremoto na Turquia, onde até o momento em que estou escrevendo, mais de 42 mil pessoas perderam a vida, e outros que nem sabemos o número ainda, perderam tudo que possuíam. Nós não temos terremotos, não temos furacões, não temos tsunamis enfim, nós não temos nenhum desses fenômenos naturais que atingem outros países.

 

 

Creio até naquela historinha em que, Deus quando criou o mundo foi questionado por seus anjos por estar livrando o Brasil de eventos naturais, se comparado a outros Países, e Deus teria dito: vocês vão ver o povinho que eu vou colocar lá, e ao que tudo indica, isso de fato aconteceu. O nosso maior desastre continua sendo nós, ou seja, nós mesmos somos os nossos algozes. Não precisamos de terremotos, tsunamis, enchentes, furacões, nada, nós nos bastamos.

 

 

Mas, como teoricamente somos uma democracia, pergunto então se essa desgraça é causada pelo próprio povo. De certa forma sim, todavia, por vias tortuosas criadas pelos que chegam ao poder e que não conseguem olhar o Brasil além do próximo mandato.

 

 

Desde os meus tempos de interessado no futuro, não lembro de algum dirigente que tenha conseguido se eleger para presidente, propondo um plano de Nação. Nenhum, e os que tentaram, não se elegeram.

 

 

Todos, com seus heroicos discursos propõe planos de governo, desses planinhos que eram de 4 anos e depois do hfczinho passou a ser de oito anos. Tão curto como coice de bode. Nesse momento estamos vendo um presidente eleito com um passado extremamente condenável. E se não é condenável, precisamos trocar toda, eu disse TODA, imprensa que passou os últimos anos criticando o atual presidente. Estiveram nos enganando lá ou estão nos enganando agora?

 

 

Fico vendo o atual presidente querendo mudar tudo, todos os pequenos avanços que tivermos. Da independência do Banco Central à reforma trabalhista passando pelas finanças, onde acabam de liberar mais de bilhão para a Lei Rouanet. Sou contra a essa lei? Claro que não, somos contra a forma com que essa montanha de dinheiro tirado do pagador de impostos é entregue aos apoiadores midiáticos.

 

 

Esse governo não apresenta nada de novo, nem durante a campanha e nem agora. É incrível a repetição dos mesmos erros da gestão passada, foram 16 anos fazendo a mesmas coisas que estão propondo fazer de novo. Alguém lembra dos debates?

 

 

Tivemos um acusador e um acusado debatendo para milhões de espectadores sobre lixo, zero de propostas de futuro, só ataques e promessas desconectadas da realidade, nunca nenhum dos candidatos defendeu um plano de longo prazo como deveria ser, ou como são os debates em Países decentes, onde existe uma real preocupação com o futuro de longo prazo dos pagadores de impostos.

 

 

Afinal leitor que opinião você tem do País que prende um veículo com licença atrasada, mas não retira o invasor de terras produtivas, que prende manifestante e solta um homicida, que faz com que você pague imposto de renda sobre salário e, além disso, pague o salário reclusão sem ter cometido nenhum crime. Tenho que perguntar: mas que Pais é esse??

 

 

Creio que nossa desgraça não é, ao que tudo indica, e não serão os desastres naturais. Os nossos desastres que não são nada naturais e estão sendo mostrados todos os dias nas emissoras de tv, nas rádios, nos jornais quase que com a mesma insistência que mostram a desgraça natural na Turquia.

 

 

Caros leitores com meus 80 aos à minha trincheira é essa aqui, me resta fazer o chamado “jus esperniandi” enquanto o Ministro Alexandre de Moraes está distraído tentando conseguir maioria para calar as redes sociais.

 

Hiram Souza é empresário, marqueteiro de longa data, aos 80 anos de jornada o que permite ter uma janela holística para o mundo. Com leve humor escreve sobre assuntos ligados à política, comportamento, educação e brasilidade

 

Imagem O povo brasileiro, livro de Darcy Ribeiro

 

Avatar

Este post foi escrito por: Hiram Souza

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta