quinta-feira, 18 de julho de 2024

Onde está o chamado Estado de Direito?

 

Prezados leitores, não sei vocês, mas eu me sinto um completo idiota. Ainda não descobri que capítulo da novela “Supremo contra o Brasil” eu perdi. Suas Excelências piraram de vez, em um ataque coletivo de insanidade!!

 

Estou falando da última peripécia, teoricamente jurídica, cometida pelo Supremo quando atropelou a Presidência da República legitimamente eleita, que sancionou uma lei aprovada pelo Congresso, também legitimamente eleito. Estou chamando atenção para o fato de que tanto o Presidente da República como o Congresso, receberam à época devida, os tradicionais diplomas de posse do TSE, tradicional puxadinho do STF.

 

Então, sem mais nem menos, todas essas autoridades que juntas somam 596 pessoas diplomadas pelo TSE, são desautorizadas pelos ministros do STF, quando suspenderam uma lei em vigor que criou o piso salarial da enfermagem. Como a lei é extensiva a toda uma categoria, o Supremo Tribunal Federal está se metendo com as parteiras do Brasil. PQP!!!!

 

Por favor, me acordem desse pesadelo que estou vivendo. Foi para o beléleu, para não dizer para a casa do C#@%&*O, o chamado Estado de Direito que, diga-se de passagem, consta naquele livrinho que ainda estamos chamando de Constituição e que deveria nortear as atividades harmoniosas entre poderes. Aliás, se não são harmoniosas que se explodam, mas PRECISAM ser, no mínimo, coerentes.

 

Eu, você e os 156 milhões de eleitores fomos suprimidos dos nossos direitos constitucionais, quando 11 gatos pingados que não receberam nenhum voto, nem meu e nem seu, decidem que a lei não vale. Simples assim!! Cara, onde estamos? Em que padrão de zona estamos vivendo?

 

Zona no sentido em que os antigos sabem o que significa, hoje a moçada de ambos os sexos que é mais descolada, chama de puteiro. Também é bom lembrar que esses locais praticamente deixaram de existir, menos em Brasília claro. Lembrando que esses ambientes deixaram de existir menos em Brasília que é caso único no mundo, onde comprovadamente, o amadorismo acabou com o profissionalismo.

 

Todavia insisto que lá onde ele ainda floresce e segundo as pesquisas, o STF, o consórcio de imprensa e a esquerda esperam de braços abertos a sua ampliação de simples zona para prostituição em larga escala e a pleno luz do dia, luz vermelha claro, simbolizando a vergonha de toda a sociedade brasileira.

 

Meus caros leitores, vou parar por aqui porque o bom senso me chama para ir ver o que os meus netos estão fazendo, aí bate o medo do que estou deixando para eles. Entendam, é exatamente por eles que me irrita esse estado de absoluta anarquia, coisa absolutamente imoral sob qualquer ponto de vista em que estamos sendo colocados. Pobre Brasil, vivendo no lado avesso da justiça, que se mostra indigna desse nome.

 

Hiram Souza é empresário, marqueteiro de longa data, aos 80 anos de jornada o que permite ter uma janela holística para o mundo. Com leve humor escreve sobre assuntos ligados à política, comportamento, educação e brasilidade.

 

 

 

Avatar

Este post foi escrito por: Hiram Souza

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta