quinta-feira, 18 de julho de 2024

Partido político é melhor que banco mal administrado

 

Depois de passar a maior parte da minha vida pessoal e profissional trabalhando como um mouro e pagando imposto tanto na pessoa física como jurídica, estou sendo instado a votar para “melhorar a vida do povo.” ATENÇÃO! Onde está escrito “povo” leia-se pagador de impostos, porque é a única vez em que o pagador é chamado para participar de eleições ou maracutaias eleitorais, como preferem alguns antigos comedores de mamona.

 

Quando o pato, ou melhor, o eleitor, deposita seu voto, ele está sendo considerado importante, mesmo que a urna nem sempre seja confiável, conforme mostrou a eleição no Senado. Para decidir a eleição deles o voto é impresso e contado.

 

Bem, voltando aos partidos, depois de acompanhar atentamente as últimas eleições, e olhando mais para o aspecto financeiro e remuneratório dos partidos políticos, cheguei à conclusão que: obter um registro de partido político é um baita negócio, melhor que banco mal administrado. Até porque banco mesmo quando mal administrado é fiscalizado pelo BC, já os partidos políticos são fiscalizados pelos tribunais de faz de Contas da União, Estados e Municípios.

 

Por outro lado e caso você estranhe a palavra “remuneratório,” saiba que os partidos políticos brasileiros são remunerados com o seu, o meu, o nosso parco, ou porco se preferir, dinheiro para poder funcionar. Mensalidade associativa como qualquer agremiação, nem pensar, isso dá um trabalho danado. É mais fácil botar a mão no bolso do “contriburrinte”. É triste, mas enquanto sociedade, estamos pagando a farra política eleitoral feita com o nosso dinheiro, o que ocorre de quatro em quatro anos. Por enquanto!!

 

Meu medo é que, considerando a montanha de dinheiro colocado à disposição dos partidos, eles achem um jeitinho bem brasileiro de fazer campanhas pagas de dois em dois anos, afinal os custos estão “aumentoando”.

 

Vejam vocês, pagadores de impostos: na eleição passada o egrégio TSE Tribunal Superior Eleitoral liberou para os partidos a irrisória quantia de 4.961 BI, quase 5 bilhões para serem gastos em suas campanhas eleitorais; inclua-se aí a eleição de presidente, senadores, deputados federais e outros tantos estaduais.

 

Temos registrados no Brasil 33 partidos políticos, os quais são sustentados pelos pagadores de impostos, ou seja, VOCÊ. Esses sortudos que a cada quatro anos ganham sem apostar verdadeiras mega-senas, são 33 partidos registrados que dividem essa montanha de dinheiro, que diga-se de passagem, é maior que a arrecadação da maioria dos 5.568 municípios brasileiros.

 

Que só para lembrar são criados pelos próprios políticos que os transformam em cartórios eleitorais, compostos por prefeitos, vices e seus vereadores de estimação. Isso que você está lendo, e que aparentemente poderia ser considerado um absurdo em qualquer país decente do mundo, no Brasil é real. Tipo velhinha de Taubaté. Começo a acreditar que é por isso que tem mais 75 pedidos de registro para formação de “agremiações” políticas no TSE. Vá que o tribunal superior conceda!!

 

Só que ninguém, fora você que vota e não tem poder nenhum de mudar, está preocupado. É mais confortável para todos, sejam senadores, deputados, governos, prefeitos, enfim todos os que se beneficiam desse sistema que o mesmo continue atendendo os que já são beneficiados.

 

Só para os pagadores de impostos terem úlceras, um tal de UP que você nunca ouviu falar recebeu 3.100 milhões. UP quer dizer Unidade Popular pelo Socialismo, mas como isso, socialismo, é muito mal aceito pela maioria dos pagadores de impostos que, a bem da verdade talvez nem saibam o que seja socialismo, devem estar pensando que “socialismo” é mais um plano do governo para ajudar os pobres a continuarem pobres.

 

Mas os “expertos” donos do partido, para não perderem a boquinha de 3 milhões que, sem nenhuma fiscalização permitem a compra de carros de luxo, casas, jatinhos e até alguma diversão e omitem que o partido é socialista, porque confunde com comunista e que, antigamente, eram os que comiam criancinhas. Atualmente comem de tudo, incluindo o seu dinheiro.

 

Bem, já que o estupro é inevitável, estou convidando você, assim como os amigos e talvez até a família, para ingressarem no partido que estou fundando e que, por ter consciência de tudo descrito acima, será grande, muito grande. Convido-o para fazer parte do Partido Único dos Trabalhadores das Américas o P.U.T.A. Que por congregar trabalhadores das Américas será muito maior que a sua filial brasileira.

 

 

Hiram Souza é empresário, marqueteiro de longa data, aos 80 anos de jornada o que permite ter uma janela holística para o mundo. Com leve humor escreve sobre assuntos ligados à política, comportamento, educação e brasilidade

 

Foto: marconeferreira.com

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

2 comentários em "Partido político é melhor que banco mal administrado"

Deixe uma resposta