sábado, 18 de maio de 2024

Quando a academia te chama

 

Começar uma atividade física ou seguir uma rotina de treinos na academia não é tarefa fácil. E ela se torna ainda mais difícil quando o ambiente da academia não é atraente nem aconchegante. Imagine você, após um longo dia de trabalho, chegar ao seu local de treino e se deparar com um ambiente repleto de aparelhos desorganizados, fiação exposta e iluminação inadequada? Garanto que grande parte da sua motivação irá embora antes mesmo de você começar o primeiro exercício.

 

No planejamento de uma academia, o objetivo principal é alinhar o ambiente às necessidades do público-alvo. Cada espaço é projetado pensando no perfil do cliente, desde os pisos e paredes até a iluminação e amenities, para que aluno possa encontrar aquilo que deseja. Enquanto algumas pessoas procuram na academia um local de refúgio e bem-estar, no intuito de vivenciar uma experiência personalizada e diferenciada, outras preferem a praticidade e a agilidade devido à falta de tempo do mundo moderno e ao período pós-pandemia.

 

 

Essa maneira de pensar possibilitou o surgimento novos conceitos de academias. É comum hoje encontrarmos, por exemplo, academias “lowcost”, destinadas a treinos rápidos. Para esse perfil de ambiente, é adotado um estilo mais contemporâneo, com aparelhos de musculação de última geração, pisos lisos e iluminação de leds com cores fortes e coloridas. Os desenhos retilíneos feitos com plotagem adesiva nos pisos e paredes junto aos perfis de led de iluminação trazem a ideia de movimento e criam a impressão de um lugar organizado, estimulando o treino. Essa iluminação aparece de forma pontual, mais decorativa, em tons coloridos e amarelo âmbar, para trazer ainda mais conforto ao ambiente. Aquela ideia de academia clara, com grandes plafons brancos industriais expostos já não é mais o foco.

 

É cada vez mais crescente também o número de academias em locais multifuncionais em galpões extensos, ou o tipo “studio”, instaladas nas próprias residências, apartamentos e garagens, com poucos aparelhos de musculação e muitos pesos livres. Em ambos os locais, o destaque projetual são os pisos vinílicos bem aconchegantes com texturas e estampas de cimento queimado ou madeira. Paredes com revestimentos ou plotagem adesiva para durabilidade e proteção das mesmas também são um forte desses ambientes, além dos espelhos para requintar e ampliar o espaço. Aqui a identidade do local (e do usuário) fica por conta dos materiais e texturas de decoração, que pode ser composta por cordas navais, vergalhões de obras e estruturas metálicas aparentes, por exemplo.

 

 

A iluminação nos espaços “studio” é um outro ponto forte do projeto e se mostra presente nos detalhes. São bem pontuais, em pouca quantidade, decorativa e com cores quentes e fortes para atingir a função principal: trazer bem-estar ao seu público, tornando o local agradável e aconchegante para a prática da atividade física.

 

Independentemente do tipo de academia, a arquitetura e o projeto interior são de suma importância para um novo empreendimento. A atenção aos pequenos detalhes e aos ambientes expande a experiência dos frequentadores e é capazes de gerar motivação e bem-estar.

 

 

Foto que abre a reportagem: Emmanuel Gonçalves

Ambiente: Academia da mostra Morar Mais por Menos, Goiânia 2016

Arquitetas: Natália Crosara e Rhayanne Kuckelhaus

Avatar

Este post foi escrito por: Natália Crosara

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

1 comentários em "Quando a academia te chama"

Deixe uma resposta