quinta-feira, 18 de julho de 2024

Quasar volta à cena

 

De hoje até o dia 23 de junho, a Quasar Cia. de Dança convida o público para uma agenda de atrações que retomam momentos importantes do grupo goiano. A primeira das atividades é a transmissão pelo canal do YouTube da Companhia, hoje (quinta-feira), às 20h, do documentário AVÁ – CANOEIRO – A teia do povo invisível. Um trabalho audiovisual dirigido por Mara Moreira, finalizado entre os anos de 2005 e 2006, que tem a participação do elenco da Quasar. O documentário foi produzido com o intuito de retratar a dizimação de uma nação indígena, que já foi soberana de vasto território no Centro-Oeste brasileiro. Um tema que segue preocupante no contexto nacional atual, discutido por uma obra que demonstra como a arte é capaz de fomentar debates a respeito de temas sensíveis a toda uma sociedade.

 

A programação tem sequência no dia 27, desta vez de modo presencial, com a apresentação do espetáculo Estou Sem Silêncio, às 20h, no Teatro Goiânia. Os ingressos deste espetáculo podem ser adquiridos pelo site www.sympla.com.br, pelos valores de R$ 30 (meia-entrada) e R$ 60 (inteira). A doação de 1 quilo de alimento não perecível dá direito à meia-entrada. Os alimentos arrecadados serão doados para o projeto “Adote a Arte”, criado pelo músico Xexéu quando houve o acirramento da pandemia de Covid-19 e muitos artistas, técnicos e produtores perderam seus trabalhos.

 

Já em junho, outras duas transmissões, nos dias 14 e 23, completam esse ciclo de atrações. No dia 14 de junho (terça-feira), pelo canal do YouTube, a Companhia transmite o espetáculo Tão Próximo, um trabalho cuja estreia aconteceu em 2010 e que trata sobre as possibilidades do encontro com o outro. Uma criação de Henrique Rodovalho que extrapola o universo das individualidades e adverte sobre as nuances das conexões físicas e emocionais, entre corpos e almas, e que, para um momento de retomada das relações sociais, após largo período de isolamento, é uma reflexão necessária e robusta.

 

Para completar, no dia 23 de junho acontece um bate-papo com os integrantes atuais da Quasar e sua equipe gestora, através de uma live pelo Zoom. Este debate virtual terá como tema o trabalho artístico durante a pandemia. As consequências, perdas, ganhos e adaptações ocorridas ao longo de mais de dois anos e que devem reverberar por longo prazo ainda. O projeto conta com recursos da Lei Aldir Blanc e é uma realização do Ministério do Turismo, da Secretaria Especial da Cultura do Governo Federal, por meio do Governo de Goiás, Secretaria de Estado de Cultura de Goiás.

 

 

Estou Sem Silêncio

Nesse trabalho, Henrique Rodovalho reuniu um elenco integralmente feminino. Atento às discussões relacionadas às questões de gênero, ele elaborou um espetáculo que tem a mulher como o centro. O bolero de Ray Conniff, a música das cantoras Céu, Tulipa Ruiz e Grace Carvalho estão na trilha sonora do espetáculo.

 

Avá-Canoeiro – A teia do povo invisível

O documentário conta a história da nação indígena Avá-Canoeiro, que viveu na região Centro-Oeste do Brasil, antes da chegada dos estrangeiros que usurparam seu território. A ficha técnica da obra conta com a direção geral de Mara Moreira, roteiro e co-direção de Andiara Maria, produção executiva de Rodrigo Santana e direção de arte de Shell Jr. (in memorian).

Ficha Técnica completa: Realização – Focus Opinião e Estratégia; Direção Geral –  Mara Moreira; Roteiro e Co-direção – Andiara Maria; Produção Executiva – Rodrigo Santana; Consultoria – Dulce Pedroso; Coreografia – Henrique Rodovalho / Quasar Cia de Dança;  Direção de Arte – Shell Jr; Edição de Imagens e  Finalização – Michel Valim; Direção de Núcleo – Alexandre Duarte; Fotografia – Sebastião Silvestre, André Montelo e Emerson Pessoa; Still – Eraldo Peres; Animação – Manu Militão; Locução – Clemente Drago; Trilha Sonora – Michel Valim, André Mendes, Geraldo Neto.

 

Tão Próximo

Tão Próximo questiona uma possível distância que persiste entre as pessoas e provoca os sentidos propondo uma interrogação: até que ponto podemos, ou devemos, nos aproximar? Essa obra conta com trilha sonora de Hendrik Lorenzen, Naná Vasconcelos, Céu, Matmos e Taylor Deupree, figurino de Cássio Brasil e cenografia do próprio Henrique Rodovalho.

 

Trabalho consistente

Com 34 anos completos em fevereiro de 2022, a Quasar Cia. de Dança segue traçando novos caminhos e novas perspectivas de atuação, diante dos cenários que se apresentaram para sua continuidade nos últimos 8 anos (o fechamento do Espaço Quasar se deu em 2016, por falta de patrocínio). A pandemia trouxe ainda mais desdobramentos para a consubstanciação de um trabalho que exige dedicação diária, esforço contínuo, formação continuada, e, em grande parte das criações, a presença física dos trabalhadores das artes, já que a dança é expressão do corpo e das histórias impregnadas nele. Seguem à frente da companhia os seus fundadores, Vera Bicalho (diretora geral) e Henrique Rodovalho (diretor-artístico e coreógrafo). Com Ana Paula Mota e Nádia Junqueira Ribeiro

 

 

Com Ana Paula Mota e Nádia Junqueira Ribeiro

Foto: Lu Barcelos

 

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta