domingo, 14 de julho de 2024

Quatro anos depois: Pirenópolis na solidão da pandemia

 

Marcio Fernandes – Bybritznews publica fotografias inéditas do ápice do isolamento de Pirenópolis durante o período mais crítico da pandemia, exatamente quatro anos atrás. O registro jornalístico retrata as imagens da cidade vazia em abril e maio de 2020. Nunca, nem mesmo na decadência que se seguiu ao fim do ciclo do ouro, as ruas centenárias da cidade encontraram uma solidão tão dolorida e mortal.

 

 

Naquele outono de 2020, quem ainda estava vivo se segregou nas casas com portas e janelas lacradas. O que dava sinal de vida eram as árvores e os bichos, que não foram contaminados pela peste que devastou muita gente e fez a cidade de quase 300 anos sentir o vazio do nada.

 

 

De medida sanitária necessária, o isolamento imposto pela pandemia deu vazão para uma série de arbitrariedades e flagrantes abusos de autoridade por parte do poder local. É uma lição que fica para o aprendizado da democracia, valor que não pode ser flexibilizado sob pretexto humanitário.

 

 

O ano da pandemia não teve cavalhadas, mascarado, novena, imperador e folia. Era uma cidade muda que não pôde ouvir a batida da catira ou a sinfonia da Banda Phoenix. Até os sinos ficaram calados na agonia da pandemia para preservar a cidade que voltou ainda mais linda.

 

Texto e fotografias: Marcio Fernandes

 

Avatar

Este post foi escrito por: Marcio Fernandes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta