terça-feira, 23 de abril de 2024

Um quarto para quase todo sempre

 

Fazer um projeto de interiores ou decorar um quarto infantil é sempre um desafio. Não só para o profissional da área de arquitetura e design, como também para os próprios pais! A primeira preocupação (e desejo) é encontrar um tema ou uma cor para o ambiente que dure muitos anos e que possa ser aproveitada em várias etapas da vida da criança.

 

Uma maneira prática e estética de acolher essa demanda é utilizar nas paredes tintas de cores versáteis como: branco, tons pastéis e tons acinzentados, fugindo das cores fortes que possam ser muito estimulantes para as crianças.

 

 

Outra alternativa muito prática é o uso dos papeis de parede. Esses podem ser lisos, com uma leve textura ou estampados com temas de bichos, laços, flores ou desenhos diversos. A dica aqui é sempre analisar a estampa antes de aplicar o papel, pois estampas muito fortes devem ser aplicadas em uma ou duas paredes no máximo. Desenhos mais leves e delicados podem ser colados em mais de duas paredes. É uma opção muito versátil e, na medida em que a criança for crescendo, basta retirar o papel de parede ou trocá-lo por outro mais adequado a idade do dono do quarto. Além disso, os papéis de parede podem fazer composições infinitas com os tons de tinta ou até mesmo com os móveis.

 

 

Ainda se tratando de paredes, uma tendência atual é a aplicação de madeira maciça ou MDF com desenhos em ripas ou até mesmo revestindo completamente uma parede. Essa tendência vem com a promessa de tornar o espaço atemporal, que vai poder ser aproveitado em muitas fases da vida da criança ou adolescente. Para deixar a proposta mais infantil, podemos apostar nos objetos de decoração, modelos de cama e tapetes lúdicos.

 

 

Em relação aos móveis, hoje em dia temos uma infinidade de itens acessíveis para os pequenos, como mesas com regulagem de altura, camas já projetadas com o tamanho do colchão de solteiro ou solteirão, além de nichos abertos e fechados para a disposição de livros infantis e brinquedos, que futuramente podem virar estantes para novos objetos. O uso deles, inclusive, traz praticidade ao ambiente. O intuito aqui é compor um ambiente prático e adequado a idade, combinando os móveis com a cor e a estampa das paredes.

 

O quarto infantil deve ter sempre como objetivo o equilíbrio, pois deve ser um ambiente com cores e objetos lúdicos para o estímulo da criança, mas também deve ser um local de harmonia e descanso. Portanto, cabe ao profissional de arquitetura e design alinhar com os pais as necessidades e orientar todas essas possibilidades, para que possam proporcionar aos pequenos um local que seja, para eles, o melhor lugar do mundo.

 

 

 

Avatar

Este post foi escrito por: Natália Crosara

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta