segunda-feira, 17 de junho de 2024

Van Gogh, o desafiador gênio louco

 

A vida de Vincent Van Gogh não foi fácil não. “Ele era muito feio, indelicado, doente e, me perdoem, eles o chamavam de louco”. Assim o descreveu sua suposta namorada de Arles, na França, Jeanne Louise Calment, a francesa que bateu recorde de longevidade – morreu aos 122 anos. Mas tudo agora são detalhes na vida de um jovem perturbado que deixou um legado que ele na verdade não sabia que estava construindo.

 

Um dos artistas mais importantes do século XIX, Van Gogh, nascido numa pequena aldeia na Holanda, começou a pintar com 27 anos e morreu aos 37, acreditando que nunca aconteceria. Estima-se que tenha vendido apenas uma obra em vida. Em dez anos, produziu cerca de 900 quadros durante uma existência regida pela tormenta da insegurança e os surtos psicológicos que o acometiam. Ele tinha epilepsia do lobo temporal, que causava recorrentes convulsões.

 

Mestre do pós-impressionismo, sua obra mais ilustre é A noite estrelada, onde suas pinceladas deixaram na tela a sensação de turbulência. E, acredite, o quadro foi pintado em um asilo em Saint-Remy-de-Provence, na França. Ele voluntariamente se internou lá para se recuperar de seu colapso nervoso de 1888. A pintura retrata a vista da janela do seu quarto.

 

 

A orelha

Há várias interpretações do motivo que o levou a cortar a orelha – na verdade apenas uma parte do lóbulo. A mais aceita é a de que o artista se mutilou com uma navalha após uma discussão com seu amigo Paul Gauguin em Arles, onde os dois permaneceram durante o Natal de 1888. Já historiadores alemães sugerem que o que realmente aconteceu foi que Gauguin cortou o lóbulo de seu amigo enquanto ele estava lutando espada e a automutilação foi combinada entre os dois para evitar constrangimento e prisão. Van Gogh imortalizou sua ferida em seu auto-retrato com orelha enfaixada. Aliás, os fofoqueiros de plantão da época davam conta de que Van Gogh tinha um caso homossexual com o pintor Paul Gauguin, com quem tinha uma relação ardida e discussões intermináveis.

 

Van Gogh morreu aos 37 anos, na cidade de Auvers-sur-Oise, na França, em 1890. Ele estava hospedado no hotel Auberge Ravoux, de onde caminhava até os campos de trigo locais para pintar. Por muito tempo pensou-se que ele havia cometido suicídio, disparado contra si mesmo no campo antes de retornar para o hotel, onde faleceu no dia seguinte. Mas recente biografia aponta que ele foi baleado por dois rapazes. Seu irmão Theo, ao seu lado quando morreu, disse que as últimas palavras de Vincent foram “La tristesse durera toujours”, que significa “a tristeza durará para sempre”. Mas a alegria de sua obra, também.

 

 

Imersão na obra do artista

 

Quer conhecer o mundo mágico do holandês? Será inaugurada em Goiânia (Goiás) a maior exposição imersiva do mundo com obras de Van Gogh. A partir de 18 de novembro, no Flamboyant Shopping (Garden Flamboyant), mais de 200 obras serão projetadas em alta resolução em espaço de 2.800 metros quadrados.

Os ingressos já estão à venda pelo site www.vangoghlive.com.br e na bilheteria física da exposição, situada na entrada do Flamboyant Shopping ao lado do Restaurante Piquiras.

 

Serviço:

Local: Flamboyant Shopping (Garden Flamboyant)

Endereço: Av. Dep. Jamel Cecílio, 3300 – Jardim Goiás, Goiânia – GO

Data: 18 de Novembro de 2022 a 15 de janeiro de 2023

Horário: De Segunda à Sábado das 10h às 21h20

Domingos e feriados das 13h às 20h20

Site: www.vangoghgoiania.com.br

 

Fotos da exposição: Ignacio Aronovich

 

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta