quinta-feira, 18 de julho de 2024

Viagem pela Zamora medieval e Sefarad

 

Marcio Fernandes  –  Hoje teve início nova etapa da minha viagem de aposentadoria. Escolhi como destino Zamora, na Comunidade Autônoma de Castela e León, Espanha. Não sabia nada daqui e a finalidade era ficar um dia em cidade medieval longe de turistas.

 

O resultado não poderia ter sido melhor. Zamora é linda, repleta de história, arquitetura que remonta a ocupação de milhares de anos, e calma como se estivesse parada na Idade Média. Com pouco mais de 60 mil habitantes, a cidade possui simplesmente 49 pontos monumentais.

 

 

Em nenhum outro sítio histórico europeu há tanta concentração da arquitetura românica, o que converte Zamora em lugar especial para quem aprecia o precioso e primeiro estilo de edificação do cristianismo ocidental.

 

Zamora é ainda banhada pelo Rio Duero, que daqui atravessa as terras portuguesas para se chamar Douro, produzir um dos melhores vinhos do mundo e desembocar em Oporto. O maior testemunho da grandeza de Zamora é Ponte de Pedra, datada do Século 12, e composta de 16 imensos arcos por onde o Rio Duero atravessa em vão de 280 metros.

 

 

Quem ainda classifica os tempos medievais como Idade das Trevas precisa conhecer esta fantástica obra de engenharia e parar de dizer tolices. Vale muito a pena cruzar a Ponte de Pedra para se ter visão panorâmica da Zamora medieval banhada pelo caudaloso Rio.

 

 

Zamora foi também, entre os Séculos 11 a 14, um dos mais importantes centros da comunidade judaica da Península Ibérica. Há na cidade muito interessante Rota Sefarad, definida em cinco pontos de alto valor histórico e que tem por finalidade honrar e celebrar a influência cultural do judaísmo em Zamora.

 

Olha que loucura! Eu reservei o hotel no trem poucos minutos antes da chegada na cidade. Optei pelo mais barato, que não se enquadrasse na categoria de albergue, e estivesse situado no Centro Histórico.

 

 

Foi surpreendente quando a recepcionista fez a descrição do edifício do Século 15.  A construção foi moradia de família judaica e, depois de ser expropriada pela santa Igreja Católica, se tornou o centro oficial da Inquisição espanhola em Zamora.

 

Não é por nada não, mas meu quarto fica ao lado da única área de banho da Espanha, totalmente conservada que os judeus utilizavam para purificação. Ganhei o dia!

 

Marcio Fernandes é jornalista!

Fotos Marcio Fernandes

 

A música do dia é Buena Semana, resgate da cultura Sefarad com a cantora Fortuna! Boa semana para todos.

 

Avatar

Este post foi escrito por: Marcio Fernandes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

15 comentários em "Viagem pela Zamora medieval e Sefarad"

Deixe uma resposta