segunda-feira, 17 de junho de 2024

Vida e obra de Clodovil Hernandes

 

“Simplesmente Clô” é o monólogo escrito pelo jornalista e dramaturgo Bruno Cavalcanti e estrelado por Eduardo Martini sobre a vida e a obra do estilista e apresentador de TV Clodovil Hernandes, morto em 2009. O espetáculo terá duas apresentações no Teatro Goiânia, nos dias 13 e 14 de julho, às 21 horas.

 

A obra é um inventário da vida e criações de Clodovil, que também foi deputado federal, ao longo de mais de 40 anos de carreira, mesclando criações pioneiras na moda, o sucesso na televisão e sua atuação política, com lembranças e fatos pouco conhecidos do público.

 

“O Clodovil era tão amado quanto odiado pelas pessoas, não tinha um meio termo. E nós não fugimos de nada disso. A ideia é mostrar essa personagem tão rica e contraditória sem jamais buscar uma redenção. Ele não gostaria disso”, diz Eduardo Martini, que conviveu com o estilista e há anos tinha o desejo de homenageá-lo no teatro.

 

Eduardo Martini, além de desenvolver a cenografia e figurinos, teve a parceria da alta costura da loja Casamento Ideal Sorocaba, que reproduziu três modelos do estilista e os colocou em cena.

 

“Simplesmente Clô” marca não apenas o retorno de Martini ao palco, mas também o reencontro do ator com Cavalcanti que, há três anos, iniciaram uma parceria teatral com a montagem da comédia “Papo com o Diabo”, dirigida por Elias Andreato. A dupla ainda planeja a montagem de outros três espetáculos em 2022.

 

SERVIÇO

Simplesmente Clô

Data: 13 e 14 de julho de 2022

Local: Teatro Goiânia

Fone: (62) 3201-4685

Horário: 21h

Preço do ingresso: R$ 80 inteira e R$40 meia entrada

Link para venda: sympla.com.br

 

FICHA TÉCNICA

Elenco: Eduardo Martini

Texto: Bruno Cavalcanti

Direção: Viviane Alfano

Figurino, Cenário e Concepção Geral Eduardo Martini

Iluminação: Felipe Souza

Preparação Vocal Mara Behlau – CEV

Produção: Martini Produções

 

Sobre Martini

Eduardo Martini é um artista de versatilidade rara. Atua, escreve, dirige, assina visagismo, figurino, cenografia, produz e tem em seu currículo a gestão de pautas de teatros e espaços culturais que se sobressaíram pela programação de alto nível fomentada durante sua passagem.

Como ator, já compôs o elenco de comédias, dramas, musicais, novelas, minisséries e especiais para a TV. Foi discípulo de Chico Anysio e uma das figuras mais populares dos programas de Adriane Galisteu e Hebe Camargo.

 

Opinião de quem o conhece

Eu e Eduardo Martini somos amigos há mais de 40 anos, através dele me tornei amigo de Thales Pan Chacon, Claudia Raia e Glória Pires, que ainda não namorava o Orlando Morais. Trata-se de um ator completo e foi um grande bailarino, tendo papel de destaque no musical Chorus Line, no início dos anos 80.

 

Quando me tornei diretor do Clodovil Hernandes, fiz questão de levá-lo ao programa A Casa é Sua, na RedeTV. Na época ele estava encenando “Quem tem medo de Itália Fausta”. Clodovil já o conhecia e o admirava e amou a sua participação no programa.

 

Algum tempo depois eu estava passando um fim de semana com Clô, em Ubatuba; acordamos no domingo e durante o nababesco café da manhã da mansão do estilista, comentei com ele: “Hoje à tarde tem estreia do Eduardo Martini no espetáculo Cinderela, vamos?”. Clodovil prontamente respondeu, “Vamos sim, claro, mas não tenho nada pra levar pra ele e detesto ir a estreias sem um presente. Já sei, vou pintar uma aquarela para ele dentro do carro”, e assim o fez.

 

Quando Martini resolveu fazer o espetáculo me chamou para que eu participasse da pesquisa de texto que o brilhante Bruno Cavalcante escreveu. Foram meses de lembranças que resultaram num texto deslumbrante do Bruno. O resultado desse trabalho vocês conferem no espetáculo Simplesmente Clô.

 

José Augusto de Souza – produtor

Avatar

Este post foi escrito por: Britz Lopes

As opiniões emitidas nos textos dos colaboradores não refletem necessariamente, a opinião da revista eletrônica.

Deixe uma resposta